0
0
0
s2sdefault

historias de sucessi amelia languene tivaneChamo-me Amelia Languene Tivane, tenho 67 anos de idade, viúva, natural de Xai-Xai, vivo a bastante tempo no bairro da Mafalala com meus três filhos e cinco netos, nenhum deles trabalha, eu é quem custeio todas as despesas de casa.


Antes de ser beneficiária o meu marido custeava todas as despesas de casa, mas ele faleceu, face a esta situação, coloquei a minha barraquinha de aluguer para a empresa peixe da mamã, mas o contrato com a empresa terminou e a barraquinha teve que fechar. Para sobreviver conto com o valor do subsídio social básico e dou por aluguer um quarto na minha casa.


Com a morte do meu marido, passamos por momentos difíceis, pois ele era o único provedor da família. Após algum tempo, ouvi na rádio e com alguns moradores do bairro que existe programas da acção social para pessoas pobres, procurei informações no circulo do bairro sobre os requisitos, me inscrevi no programa e de seguida recebi visitas dos técnicos da acção social e comecei a receber o subsídio.


Desde que comecei a receber o subsídio, mudou alguma coisa na minha vida, consigo comprar alguns produtos da primeira necessidade. Não fico muito tempo com o valor, pois recebo somente 390 meticais.
Estou feliz por ser beneficiária deste programa, mas agradecia se o governo aumentasse um pouco mais o valor que nos dão porque o custo de vida também subiu bastante.

0
0
0
s2sdefault