0
0
0
s2sdefault

jose supinhoChamo-me José Supinho, tenho 58 anos de idade, vivo no bairro Maxaquene B com meus 3 netos, minha esposa e um filho. O meu filho não ajuda nas despesas de casa. Sou beneficiário do programa subsidio social básico (PSSB) há 2 anos mas o valor que é alocado para nós não chega para muita coisa, só da para comprar farinha, óleo avulso e o dinheiro acaba em seguida.


Sou deficiente físico, para conseguir sobreviver ao longo do mês quando o dinheiro do subsídio acaba, peço esmola nas quintas-feiras na Av. Joaquim Chissano e por vezes na Av. Eduardo Mondlane, por vezes consigo obter 100mt ou 80mt por dia, mas ultimamente não tenho conseguido muita coisa porque as pessoas não têm dinheiro.

Com o dinheiro da esmola compro comida e se restar deposito numa conta no banco. Tenho a noção dos perigos que corro pedindo esmola nas estradas, já ouvi pela rádio muitas pessoas que são atropeladas e assaltadas por pessoas de ma fé, mais não tenho muitas opções porque o valor do subsidio é muito pouco e tenho que arranjar fontes alternativas para suprir as minhas necessidades básicas.

0
0
0
s2sdefault