0
0
0
s2sdefault

esmeralda laquene“Peco ajuda ao governo na construção de uma casa convencional, porque esta em que vivo actualmente não é segura, apos o ciclone Dineo que devastou muitas infra-estruturas aqui em Inhambane, consegui fazer alguns arranjos nesta casa só para não dormir ao relento”.
Assim começava a nossa conversa com a dona Esmeralda Laquene que esqueceu-se da sua idade, natural de Inhambane e vive sozinha. Beneficiária do Programa Subsidio Social básico a 5 anos, recebe 310 mt correspondente ao primeiro escalão de beneficiário.


Esmeralda conheceu o programa num encontro do bairro organizado pelo secretário do bairro que trazia consigo orientações do INAS para avaliar a situação económica dos membro da sua comunidade e deste modo seleccionar os que se encontram na situação de pobreza e vulnerabilidade, a senhora contou-nos que apos a avaliação do secretario do bairro sobre a sua situação financeira, não passou por processos burocráticos para ingressar no PSSB, bastou-lhe somente a apresentação do B.I e o secretario encaminho o seu processo ao INAS a fim de integra-la no programa.


Antes de ser beneficiária, o seu sustento advinha da machamba (ate hoje ela conta com a macha próximo a sua casa), e da pesca e hoje ela já não consegue exercer esta actividade devido a problemas na perna que a impossibilita chegar ate a praia.
Falando se houve mudanças em sua vida desde que começou a se beneficiar do programa, Esmeralda, com um sorriso no rosto afirmou haver alguma mudança em sua vida.


“Antes e agora que sou beneficiaria, este subsidio mudou alguma coisa na minha vida, por exemplo: a província de Inhambane foi fustigada recentemente com ciclone, e a minha casa foi parcialmente destruída, graças ao dinheiro que recebo no INAS que saiu acumulado dos meses em que não recebíamos, consegui pagar pessoas para reerguer a minha palhota. Se não fosse esse subsídio não sei onde iria arranjar dinheiro para pagar estas pessoas”.


Para poder suprir suas necessidades básicas de sobrevivência, para além do Subsidio social básico, conta com ajuda dos seus vizinhos (que tem oferecido comida e agua nos dias em que ela se encontra doente), conta ainda com ajuda da prima que por sinal também é beneficiário do PSSB
Diante de muitas dificuldades e desafios, a gratidão foi um gesto de educação e um pedido de ajuda.


“Agradeço o governo pelo subsidio que dão a nós pobres, e peco para que o valor seja incrementado para poder fazer face as exigências actuais”

0
0
0
s2sdefault