0
0
0
s2sdefault

melhorar controlo hivO Governo e os parceiros de cooperação pretendem fortalecer as acções de planificação, colaboração e comunicação entre os intervenientes, a vários níveis institucionais, para permitir uma análise situacional dos mecanismos clínicos e comunitários sobre o controlo da epidemia do HIV/Sida.


O entendimento foi alcançado no encontro que juntou, última sexta-feira, em Maputo, equipas técnicas de nível central e provincial do Ministério da Saúde (MISAU), do Conselho Nacional de Combate ao HIV/Sida (CNCS), do Plano de Emergência do Presidente dos Estados Unidos para o Alívio do Sida (PEPFAR), bem como outros parceiros nacionais e internacionais envolvidos na luta contra a doença.


Os participantes apresentaram novas propostas para reforçar as acções em curso, tendo em conta os resultados preliminares do Inquérito de Indicadores de Imunização, Malária e HIV/Sida em Moçambique (IMASIDA), recentemente divulgados.


As propostas resultam da análise ao trajecto registado ao longo das duas últimas décadas na resposta nacional, traduzido por uma crescente disponibilidade de serviços de prevenção, assim como de cuidados e tratamento do HIV, em todo o país.


Os dados preliminares do IMASIDA estimam um aumento da prevalência do HIV entre a população adulta (15-49 anos) para 13,2 por cento, uma diferença de cerca de 1,7 por cento relativamente ao Inquérito Nacional de Prevalência, Riscos Comportamentais e Informação sobre o HIV/Sida em Moçambique (INSIDA), feito em 2009.


Apesar de os resultados finais do IMASIDA não estarem ainda disponíveis, os seus dados epidemiológicos preliminares permitem já orientar novas estratégias clínicas e comunitárias, sendo consensual a necessidade de continuar a expandir os serviços de prevenção de nível comportamental e biomédico.

No encontro de sexta-feira, foi recomendada a crescente disponibilidade dos serviços de cuidados e tratamento do HIV, que beneficiam mais de 900 mil pessoas em todo o país, para melhor alcançar grupos populacionais específicos.


As abordagens inovadoras foram, também, discutidas, para melhorar a retenção nos cuidados clínicos, segundo um comunicado de imprensa da embaixada dos EUA, citado pela AIM.


Através do PEPFAR, o governo dos Estados Unidos é o mais importante doador das actividades de resposta ao HIV/Sida no país, tendo o seu apoio ultrapassado os dois mil milhões de dólares, desde 2004.
In O País

0
0
0
s2sdefault