0
0
0
s2sdefault

Raparigas resgatadas de casamentos prematurosQuatrocentas raparigas que tinham sido envolvidas em casamentos prematuros foram recentimente resgatadas, em quatro distritos da província da Zambézia, abrindo assim espaço para o seu regresso a escola.
Trata-se de uma acção que vem sendo desenvolvida pela Visão Mundial, no quadro da implementação de um programa denominado “Elo mais Forte”que visa a atribuição de 1600 bolsas de estudo no quadriénio 2017/2020.


Falando na semana passada na vila distrital de Murrumbala, o gestor provincial do programa de protecção a criança na Visão Mundial, Ailton Muchave, disse que o resgate a rapariga foi possivel graças ao envolvimento dos Governos distritais, líderes comunitários e religiosos na implementação do programa.
Neste primeiro ano, a acção esta ser desenvolvida nos distritos de Murrumbala, Dere, Mucuba e Namacurra, onde foram recuperadas as raparigas. Esta foi a primeira experiência de sucesso no país, em que raparigas e rapazes que se tinham envovido em casamentos prematuros abandonaram a prática e regressaram a escola, conforme considerou Ailton Muchave.


No quadro da implementação do programa, a Visão Mundial oferece material escolar diverso e cria círculos de interesse, na perspectiva de estimular as raparigas que, para além de estudarem, aprendem novas coisas que podem ser uteis no futuro, nomeadamente custura e bordados. Neste processo, as melhores alunas beneficiam de bolsa de estudo para uma formação profissional e, desta forma servirem de modelo nas suas comunidades, sobretudo no seio das outras raparigas.


Para a implementação do programa de protecção a criança, a Visão Mundial vai investir 2.7 milhões de dolares Norte Americanos ao longo do quadriénio. Ailton Muchave disse que no final se pretende ajudar as raparigas e rapazes a consiguirem a auto-superação e deste modo contribuirem nos esforços de erradicação da pobreza.


Nos quatro distritos vai se promover a sensibilização de mais de 150 mil crianças, atravez de mensagens contra os casamentos prematuros. Este movimento de mobilização social vai contar com a participação de 120 lideres comunitários e religiosos.
A província da Zambézia apresenta altos índices de casamentos prematuros e os dados mais recentes indicam que em cada 100 raparigas, 18 se casam antes de atingir os 28 anos de idade, o que mutila as perspectivas de formação e aparição das mulheres na esfera pública.


A Visão Mundial, o Governo, Deputados da Assembleia da República e líderes religiosos reuniram-se ano passado, em Quelimane, para desenhar estratégias visando inverter o actual cenário. Assim, foi criado o programa “Elo mais Forte” que se acredita possa contruir para a solução de problemas dos casamentos prematuros.


No próximo ano, o “elo mais forte”vai focar as suas atenções na criação de grupos de poupança para a rapariga e treinamento no Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional.

A Visão Mundial acredita que uma rapariga empoderada financeiramente tem grande possibilidade de escaper aos casamentos prematuros, enquanto os rapazes podem aprender uma profissão para ser utel no future.

In Noticias

0
0
0
s2sdefault