0
0
0
s2sdefault

casamentos prematurosUma em cada dez raparigas moçambicanas está casada aos 15 anos e metade estão casadas aos 19 anos de idade. Este índice elevado de casamentos prematuros em Moçambique tem atraído a atenção de vários seguimentos da sociedade, instituições do Governo, organizações da sociedade civil e parceiros no fortalecimento de acções de advocacia e sensibilização para a eliminação desta prática, esta é uma constatação de um estudo levado a cabo pelo Centro de Pesquisa em População e Saúde (CEPSA).

A referida pesquisa mapeou os distritos do país onde o fenómeno de casamentos prematuros está mais pronunciado de modo a que esses distritos sejam prioritários nos esforços para a eliminação desta prática .

A Pesquisa avança que mais de 20% das meninas menores de 16 anos estão casadas/unidas nos distritos de Namuno, Balama e Chiure (na província de Cabo Delgado), Marrupa, Sanga e Nipepe (na província de Niassa) e Mecuburi (na província de Nampula).

Por outro lado, pode se ler que mais de um terço das raparigas menores de 18 anos está casado/unidas nos distritos de Balama, Namuno, Chiure e Ancuabe (em Cabo Delgado); Sanga, Marrupa, Nipepe e Ngauma (em Niassa) e Mecuburi, Mogovolas, Lalaua, Namapa Erat e Muecate (em Nampula).

As conclusões da referida pesquisa sugerem que, numa situação de escassez de recursos, maior prioridade se deveria dar ao Norte do país e em particular aos 16 distritos mais afectados nas províncias de Cabo Delgado, Niassa e Nampula.

0
0
0
s2sdefault