0
0
0
s2sdefault

CzJbMmSWQAAMcp Os dados são referentes ao inquérito demográfico de 2011, que aponta que, a província de Inhambane possui uma prevalência de cerca de trinta e seis por cento de casos da má nutrição, em crianças menores de cinco anos. Para flexibilizar o diagnóstico e posterior tratamento, o sector da saúde recebeu de parceiros, material antropométrico, destinado à medição e pesagem de crianças menores de cinco anos, bem como balanças pediátricas para suas mães.


O director provincial de saúde, nesta parcela do país, disse que a província conta com cerca de 128 unidades sanitárias, mas que ainda carecem daquele equipamento que ajuda os técnicos do sector na identificação dos casos de desnutrição, sendo a oferta da UNICEF e do Governo da Irlanda indispensável.
“Este equipamento é muito importante para os nossos serviços, uma vez que temos em nossas unidades sanitárias, pouco equipamento, antigo e já obsoleto pelo que, este é grande reforço e nós iremos priorizar sua alocação para as regiões mais críticas, principalmente na zona norte da província” disse Naftal Mathusse, Director Provincial da Saude de Inhambane.


A fonte revelou também que há acções em curso, com vista a mitigar este mal, que afecta sobremaneira os petizes.
“Temos vindo a trabalhar com os grupos das mães, nas comunidades e respectivos líderes comunitários, de modo a incentivá-los a fazer uma combinação apropriada dos alimentos, para seus filhos”.


Concluiu realçando que, o mais importante é saber combinar os alimentos disponíveis e sobretudo neste período de muita fruta, para além dos tubérculos e hortícolas, tais como: laranjas, tangerinas, batata-doce, banana, couves, mandioca, entre outros artigos, que podem estabiizar a saúde dos petizes.
Ainda dados demográficos já publicados indicam que, quatro em cada dez crianças sofrem da desnutrição crónica e cinquenta por cento das mortes infantis estão ligadas com casos da má nutrição, daí a necessidade do rápido diagnóstico, para o tratamento.


“A desnutrição crónica em Moçambique ainda é muito crítica e dados dão conta de que, metade de óbitos em menores estão ligados a má nutrição e por isso mesmo que, diagnosticando e tratatando casos enquanto cedo, podem se evitar muitas mortes; a razão da importância do uso deste equipamento para ajudar e facilitar o trabalho dos técnicos de saúde, em várias unidades sanitárias” referiu Xavier Rodrigues, representante do UNICEF.


Azevedo Suez, representante da embaixada da Irlanda, sublinhou que aquele país tem vindo a apoiar o sector da saúde em outras áreas tais como: no combate e controle da pandemia do HIV/SIDA, nutrição e a agricultura para o combate à má nutrição.
“No que respeita ao apoio da Irlanda, nossa maior espectativa é ver os técnicos de saúde munidos de ferramentas/equipamento adequado, para diagnosticar e rapidamente tratar as crianças, para o seu bem-estar futuro” disse


Na província de Inhambane, os distritos de Mabote, Funhalouro e Panda, são considerados os mais críticos, de prevalência da desnutrição crónica.


In O País

0
0
0
s2sdefault