0
0
0
s2sdefault

igualdade de genero mocambique melhora na sadcInformações tornadas públicas em Maputo pelo director adjunto do de Género Criança e Accão Social (MGCAS), Sansão Buque, citando o último relatório do fórum económico mundial, que alerta, entretanto, a necessidade de mais trabalho para garantir que todos homens e mulheres tenham iguais oportunidades e direitos no país.


Falando no âmbito da capacitação dos pontos focais dos Ministérios e diferentes sectores em matéria de inclusão das perspectivas de género nos planos, politicas e estratégias do país, Buque fez saber que Moçambique se destaca mais na política, educação, saúde e emprego, áreas que não se nota uma grande discrepância de participação entre homens e mulheres.


“ No continente africano, Moçambique está na quinta posição, abaixo do Ruanda, Burundi, Africa do Sul e Namíbia. No mundo aparece no 21o lugar, por tanto a frente de países desenvolvidos, como os Estados Unidos, Brasil e Portugal. Nestas matérias podemos dizer que o nosso país registou avanços significativos porque o relatório faz análise do ponto de vista de participação, acesso a educação, saúde e ao emprego” comentou.


Reconheceu, contudo, que ainda há muito por se fazer para garantir o empoderamento económico da mulher, sobretudo no acesso a recursos produtivos e a terra.


“ A inclusão da perspectiva de género na SADC ainda está a quem das metas desejadas. A análise sistemáticas das questões de género, a planificação na óptica de género, a implementação, monitoria e avaliação do impacto causado pela inclusão da perspectiva de género são necessárias para o alcance das metas do desenvolvimento sustentável”disse Danilo Bay, secretário permanente do MGCAS, discursando no acto da abertura do evento.


Referiu que, actualmente, o Governo está a desenhar o Programa Nacional Para o Empoderamento Economico das Mulheres, uma acção que conta com o apoio do banco africano de desenvolvimento e das nações unidas, em particular, a ONU mulheres.


Explicou que a meta é atingir 50/50, do ponto de vista politico, e de participação das mulheres nos órgãos de poder e de tomada de decisão e para que as mulheres tenham acesso aos órgãos produtivos, que constitui o grande problema que concorre para que a igualdade de género não esteja a 100 por cento no nosso país.


A inclusão da pespectiva de género tem sido considerada uma prioridade para o alcance das metas e objectivos da SADC.
A capacitação, tem por objectivo segundo Elizabeth Kacukuro, oficial de programas para a integração de género no secretariado da SADC, harmonizar as intervenções e entendimento sobre a integração da perspectiva de género nos diversos ministérios e instituições, quer públicas quer privadas.
In Notícias

0
0
0
s2sdefault